[LIVRO] Auggie & Eu: Três Histórias Extraordinárias

Auggie & Eu: Três Histórias Extraordinárias
Autora: R.J. Palacio
Editora: Intrínseca
Páginas: 326
Onde comprar: AmazonSubmarino
A história de Auggie Pullman ganha agora novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, narram nos três contos reunidos no livro Auggie & Eu seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário.
O capítulo do Julian dá voz a um personagem controverso: o menino que liderava o bullying contra Auggie na escola. Enfim temos a oportunidade de entender o que o levou a agir dessa forma e o que Julian pensa das próprias ações. Em Plutão, o narrador é Christopher, o primeiro amigo de Auggie. Os dois meninos compartilham lembranças da infância e, apesar de terem se distanciado, aprendem que boas amizades sempre valerão um esforcinho a mais. Shingaling mostra Auggie pelos olhos de Charlotte, a única menina entre as três crianças escolhidas para apresentar a Auggie sua nova escola. Com ela entramos no universo das garotas e vemos como a chegada de Auggie afetou as relações entre elas.
 

  Extraordinário está na minha lista de livros favoritos do ano passado (resenha aqui). Por esse motivo, assim que terminei a leitura tratei de comprar Auggie & Eu pra poder ficar um pouquinho mais próxima daquele garoto tão especial, e não me arrependi! Logo no início, R.J. Palacio explica que recebeu inúmeros pedidos pra continuar a história de Auggie e, para alegria dos fãs, resolveu criar não uma continuação propriamente dita, mas nos presentear com três singelas histórias, contadas através dos olhos de três crianças que conviveram com August.
  • O Capítulo do Julian
  Como o próprio nome diz, aqui temos a visão de Julian Albans dos fatos ocorridos na Breecher Prep. Julian era o principal bully de Auggie, odiado por quase todos que leram o livro, imagino eu. Com este relato, descobrimos quais foram as motivações para Julian agir como agiu (não que justifiquem sua crueldade, mas enfim) e acabei até criando uma certa simpatia pelo garoto.
  Em Extraordinário, cheguei a questionar como era possível um menino de 10 anos ser tão malvado. Não era possível que os pais do garoto não soubessem qual a índole de seu filho... Lendo O Capítulo do Julian, percebi que é muito fácil julgarmos crianças cruéis sem sabermos a realidade que as cerca. Muitas vezes, uma criança nem ao menos tem noção da gravidade de suas atitudes, principalmente se tiver pais omissos que resolvem encontrar desculpas para todo e qualquer comportamento inadequado de seus filhos, coisa muito comum nos dias de hoje.
  A parte em que a avó judia de Julian conta os acontecimentos de sua juventude durante a ocupação nazista na França foi especialmente surpreendente. Este, sem dúvida, foi o capítulo que mais me emocionou neste livro!
Mas esta é a questão de ficar apavorado: não dá para controlar. Quando você tem medo, tem medo. E, quando você tem medo, tudo parece mais assustador do que deveria ser - até as coisas que não são. - pág. 34 -

  • Plutão
  Este capítulo é narrado por Christopher, o amigo mais antigo de Auggie. Alternando entre cenas do passado (quando conheceu August, o início e percalços da amizade entre eles) e cenas do presente (o acidente de carro que sua mãe sofreu e a reaproximação com o antigo amigo), Chris vai nos desvendando suas inseguranças e o quão difícil pode ser, às vezes, ser amigo de alguém tão diferente como Auggie.

  Chris, ao mesmo tempo que ama o amigo e é sensível ao seu problema estético, não quer passar por situações constrangedoras e nem receber olhares estranhos por estar em sua companhia. Aqui, mais uma vez, percebi como é muito fácil partirmos para um julgamento superficial sem entender a profundidade dos fatos. Christopher é apenas um garotinho, e pode ser muito difícil administrar uma amizade com alguém tão discriminado (infelizmente) como Auggie. Quando muda de bairro, Chris vê uma oportunidade de "respirar" um pouco e se livrar da tensão de estar sempre com o amigo.

  Felizmente, a amizade verdadeira acaba mostrando sua força, vencendo toda e qualquer dificuldade, afinal de contas, "boas amizades valem um esforcinho a mais"
Por sorte, o Auggie nunca me perguntou por que eu não fui à casa dele naquele dia. Fiquei aliviado por isso. Eu não sabia como poderia dizer que ser amigo dele também era difícil para mim às vezes. - pág. 131 -

  • Shingaling
  Charlotte foi a única garota designada para o comitê de boas-vindas ao Auggie e, apesar de nunca tê-lo tratado mal, também nunca estabeleceu uma relação de amizade com o garoto. Neste capítulo, conhecemos seus dramas e inseguranças em relação às amigas, às "meninas más e populares" da escola e sua fama de certinha e hipócrita.
  Descobrimos que Charlotte tem um bom coração, porém preocupa-se demais com a opinião dos outros sobre ela, e isso acaba interferindo em seu comportamento. Durante um festival de dança no qual participa com Summer (grande amiga de Auggie) e Ximena (uma das "garotas más"), Charlotte percebe que nem tudo é preto no branco, que ser legal não significa que precise esconder suas próprias opiniões e que até as garotas mais populares também têm seus momentos de insegurança.
  Esta parte do livro retrata um drama real de muitas garotas (e garotos também) em idade escolar. As panelinhas, a necessidade de se enquadrar em algum grupo e toda a ansiedade que permeia essa fase. Apesar de não ser tão centralizado em Auggie, este capítulo também é muito especial!
Algumas amizades são assim. Talvez até as melhores amizades fossem assim. As conexões estão sempre ali. Apenas são invisíveis aos olhos. - pág. 306 -


  Auggie & Eu é um livro maravilhoso, leitura obrigatória para todos que leram e se encantaram com Extraordinário. Com uma linguagem simples, gostosa e direta, típica das crianças, este livro vai te emocionar do começo ao fim. Recomendo muito! 😊

Ah, e não esqueça de responder a pesquisa aqui na barra lateral sobre o quê você achou do blog! 👉

Follow my blog with Bloglovin

2 comentários:

  1. A capa desse livro é simplesmente a coisa mais fofa do mundo ♥
    Adorei a resenha, e vou tentar arrumar um tempinho para lê-lo <3
    Beijos!
    http://literariounicornio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a capa é linda mesmo. O projeto gráfico todo, aliás, é uma graça! Leia sim, você vai amar.
      Beijos!

      Excluir