[LIVRO] A Vida dos Elfos

A Vida dos Elfos
Autora: Muriel Barbery
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 263
Onde comprar: Submarino | Amazon  
Maria e Clara são jovens órfãs unidas por dons secretos. A chegada de Maria a uma granja na Borgonha traz prosperidade à terra, o que leva todos a acreditarem que a menina conversa com a natureza. Enquanto isso, Clara cresce numa aldeia perdida nos Abruzos, no sul da Itália, aprende italiano "na velocidade do milagre" e, depois de se revelar um prodígio no piano, é enviada a Roma para desenvolver sua veia musical. As duas garotas, cada uma à sua maneira, se comunicam com um mundo misterioso que garante à vida dos homens sua profundidade e beleza, mas ao mesmo tempo oferece uma ameaça grave contra nossa espécie. As sombras da guerra e do mal avançam, e só Maria e Clara poderão combatê-las, reinstaurando a paz.


 Esse livro me chamou atenção, num primeiro momento, porque já tinha lido A Elegância do Ouriço, da mesma autora, e gostado muito. Além disso, a capa de A Vida dos Elfos é linda, com desenhos que me remeteram a antigos livros de botânica e um fundo dourado metálico. Sobre o título, não preciso nem dizer que me instigou bastante, pois adoro histórias com criaturas fantásticas.

 Maria e Clara são duas órfãs que chegaram misteriosamente ao local onde vivem e foram acolhidas pelos moradores da região. Ambas são extremamente sensíveis à natureza e a arte e mudam completamente a vida das pessoas que vivem ao seu redor, trazendo alegria e prosperidade. Me identifiquei muito, mas muito mesmo com Maria. Ela ama a natureza, se sente em casa em meio as árvores e aos animais, com os quais consegue se comunicar tranquilamente. 
 Maria convivia diariamente com a religião da poesia, quando subia nas árvores e escutava o canto dos galhos e das folhas. Compreendera muito cedo que os outros se moviam no campo como cegos e surdos para quem as sinfonias que ela ouvia e os quadros que contemplava não passavam de ruídos da natureza e paisagens mudas. - pág. 83 -
 Ao longo da leitura, percebemos que as garotas tem uma "missão" especial envolvendo os mundos élfico e humano, responsáveis por impedir que uma grande catástrofe aconteça aos homens. Não vou contar do que se trata pra não estragar a surpresa, mas a premissa em si é bastante interessante. Até hoje, não li nenhuma história que abordasse o mundo dos elfos como Barbery faz neste livro. Temos um elfo beberrão, outro que veio para o mundo humano pois ama a arte produzida pelos homens, um pintor fascinado pelo mundo élfico que anseia por cruzar a "ponte" entre os mundos...

 O livro é dividido em blocos, e cada bloco é dividido em capítulos que levam nomes de diferentes personagens, narrados em terceira pessoa e entremeados com diálogos dos membros do Conselho Élfico Restrito, que acompanha de longe o desenrolar dos acontecimentos. A linguagem de Muriel é um tanto arcaica, apesar de em momento algum ela situar a narrativa em uma época específica e, apesar dessa característica ser essencial para a construção do "clima" em que os fatos transcorrem, tornou a leitura cansativa para mim.
Eis chegado o tempo dos homens que conhecem a nobreza das matas e a graça das árvores, o tempo dos homens que sabem colher e cuidar, e amar, enfim. - pág 162 -
 Tenho sentimentos conflituosos em relação a este livro. Se de um lado fiquei encantada com seu ar bucólico, com a exaltação da natureza e das coisas belas e simples, de outro, achei a narrativa lenta, muito arrastada e até entediante. Demorei quase quatro semanas pra concluir essa leitura e acabei com minha meta de ler ao menos três livros por mês! Pra quem espera algo no estilo de O Senhor dos Anéis ou qualquer outra coisa com o mesmo dinamismo, não alimente expectativas. A Vida dos Elfos (que terá uma sequência num segundo volume) é um livro calmo, que deve ser lido com muita paciência.

 Isso não invalida a experiência, de qualquer forma. A autora nos carrega para uma reflexão sobre o mundo moderno em que vivemos, tão louco, objetivo e cheio de ambições e compromissos que não conseguimos mais nos maravilhar com seu lado poético, com seu encanto natural. Estamos cada vez mais afastados da natureza e esquecendo que também fazemos parte dela. Essa é uma discussão importantíssima, a meu ver. Precisamos de um pouco de magia no nosso dia-a-dia. 
Mesmo que não tenha sido roçado por carícias, há em cada ser a consciência nativa do amor, e mesmo que ainda não tenha amado ninguém, ele conhece o sentimento por uma memória que atravessa os corpos e as eras. - pág 93 -  


 E você, ficou com vontade de ler este livro? Também tem essa sensação de afastamento das nossas origens? Me conte nos comentários!

 Beijos.

10 comentários:

  1. Amei a capa desse livro, Fê! É bem o estilo de livro que eu compraria na livraria sem nem ler a sinopse haha

    Abraço,
    omundodemis.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é muito linda, mesmo! Eu peguei ele da estante por causa da autora mas quando vi a capa, fiquei com ele na hora!
      Um abraço!

      Excluir
  2. Apesar de não gostar muito do gênero achei a história bem interessante!
    Te marquei em uma Tag lá no blog:
    http://apenasgiz.blogspot.com.br/2016/03/tag-liebster-award.html?m=1

    *Beijokas -Hellen Barros.

    ResponderExcluir
  3. Não faz muito meu estilo mas acho bem interessante as viagens que a leitura nos proporciona. A história é muito original e parece se sustentar bem! A capa é linda!

    Fê, te indiquei no prêmio dardos! <3

    Me chama de Bella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bella!
      Puxa, fui indicada para esse prêmio recentemente e já fiz um post sobre ele. Vou incluir sua indicação e seu blog na postagem.
      Um beijo e obrigada!

      Excluir
  4. Eu nunca li nenhum livro abordando esta questão do mundo mágico dos elfos e afins, mas esta capa com este piano ao fundo me chamou a atenção e também fiquei curiosa com a história do livro, eu estudo música e fiquei interessada em conhecer a relação da Clara com a música.
    Mas, normalmente não é o tipo de leitura que estou acostumada.

    Beijos.

    Blog: http://true-luv.com/inolvidable/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel, acho que pelo fato de estudar música você vai gostar muito dessa história, de verdade! Clara tem uma relação super especial com o piano e consegue emocionar todos com suas músicas.
      Beijos!

      Excluir

  5. This is awesome article and photos, and I fall in love now. Thanks for sharing all together. Regards from Travel to Cambodia Travel and tout Specialist.

    ResponderExcluir