[LIVRO] A Culpa é das Estrelas

A Culpa é das Estrelas - John Green
Ed. Intrínseca
288 páginas
Classificação: 3/5

"Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer."



 Augustus  é um garoto sarcástico e atraente, que zomba do câncer "fumando" cigarros que sempre deixa apagados - uma metáfora sobre estar no controle da situação, Augustus adora metáforas. Ele está supostamente curado e frequenta o grupo de apoio para acompanhar seu amigo Isaac, que em breve irá perder a visão devido a doença, é onde conhece Hazel e, imediatamente, a garota desperta seu interesse.
 Unidos pela doença e pelo amor que sentem um pelo outro, Hazel e Augustus partem em busca do escritor Peter Van Houten para sanar algumas dúvidas da garota a respeito do livro Uma Aflição Imperial, pelo qual Hazel é completamente obcecada. 

 Na primeira vez que li a sinopse deste livro, confesso que não me chamou atenção (imaginei logo um dramalhão no melhor estilo novela mexicana). Depois de algum tempo e muito auê sobre ele, resolvi comprá-lo por curiosidade em saber se era tudo isso. A história é legal. O romance entre Hazel e Augustus é totalmente inusitado e foge dos padrões aos quais estamos acostumados: Hazel não é propriamente bonita, a doença drena suas forças e ela anda sempre com um carrinho de oxigênio a tiracolo. Os diálogos são bastante inteligentes, filosóficos até (o que acaba rendendo várias citações que se espalham pela Internet), porém muitas vezes um tanto cansativos. A escrita do livro é uma das formas de caracterizar a personalidade de Hazel, bastante informal, tal qual uma garota de 16 anos. No começo isso me incomodou mas aos poucos fui me acostumando com o estilo "Hazel" da narrativa.

O principal arco é a viagem em busca de Van Houten, que é possível graças a uma instituição dedicada a realizar desejos de crianças com câncer em fase terminal e acaba revelando uma desagradável surpresa. Fora isso, a forma como Hazel se relaciona com os pais e o próprio drama de Isaac são emocionantes (e até mais interessantes do que a viagem em si). Os personagens são bem construídos e bastante realistas e, através deles, temos um vislumbre de como o câncer pode ser cruel e implacável. Me emocionei em alguns pontos - principalmente no final, onde acontece algo inesperado - mas nada que me fizesse desfazer em lágrimas e ficar lembrando do livro dias a fio.
 
Acho que devido a repercussão que esta obra teve, criei muitas expectativas que acabaram não sendo correspondidas. É uma história bonitinha, os personagens têm certo grau de profundidade mas - pelo menos pra mim, e sei que algumas pessoas podem me detestar por isso - faltou algum "quê" a mais, não sei especificar qual. Não foi algo que me cativou e faça eu querer ler o livro novamente. Simplesmente não foi pra minha lista de favoritos, o que não muda o fato de que é um livro que vale a pena ser lido, tanto que adquiri mais dois do mesmo autor: O Teorema Katherine e Deixe a Neve Cair (este último, três contos escritos em parceria com mais duas autoras, Lauren Myracle e Maureen Johnson).

 Em junho de 2014 a adaptação para o cinema foi lançada. Eu ainda não assisti mas pretendo ver em breve. Tenho curiosidade de saber como Hazel e Augustus foram retratados. Você já assistiu? O quê achou?

Beijos!

>> Onde comprar: Submarino | Amazon  




   

 
 

8 comentários:

  1. Não li ainda o livro, assisti o filme, muito lindo. Sempre quando sai filme e livro, o livro normalmente sempre é mais gostoso porque usamos nossa mente para montar cenários e personagens e talvez por isso os livros pareçam mais intenso e bonitos.

    Excelente sugestão de leitura!

    Beijo! ♡
    www.diariodeumaprincesasemcastelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Raquel. Eu sempre procuro ler os livros antes de assistir as adaptações para cinema/séries mas tenho que dizer que algumas vezes as adaptações acabam me surpreendendo, de tão boas! Um exemplo é a série Game of Thrones, uma superprodução da HBO baseada nas Crônicas de Gelo e Fogo (pelas quais sou completamente VICIADA!). Fico boquiaberta assistindo aquilo!

      Excluir
  2. Confesso que chorei horrores com esse livro e gostei bastante dele, mas não é o meu preferido, nem no geral, nem do John Green, gosto mais de "Quem é você, Alasca?" e com certeza, algumas pessoas me acham uma louca por causa disso, hahaha.
    Já assisti o filme e gostei bastante, viu! Acho que todos os personagens foram muito bem retratados e a produção muito bem construída. A atuação da Shailene Woodley (Hazel) e do Ansel Elgort (Gus) me deixou bem satisfeita também! Assista, vale a pena!
    Adorei a resenha!
    Beijos!

    lesobrinho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li o livro mas assisti o filme. Derramei exatas suas lágrimas e depois me deu um nó na garganta.
    Por que a gente reclama tanto da nossa vida?
    Beijos!


    http://mechamadebella.blogspot.com.br/2015/12/makeup-produtos-que-uso-diariamente.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Tem alguns livros que mostram como reclamamos MUITO à toa né? Esse é um deles!
      Beijo!

      Excluir
  4. O filme é maravilhoso, mas o livro me fez chorar horrores, parabéns pelo blog.
    Bjs, sucesso.

    www.bporai.com

    ResponderExcluir